sábado, 23 de junho de 2012

Devorador do hoje


Nem o tempo,
nem a vontade,
nem remédios ou
canudos irão apagar
o passado.

Carregará para sempre o
fardo de acordar quase morto.

Enquanto a lágrima estiver
caindo, se apegue ao
presente.

O presente que servirá
de banquete para o
devastador passado.

Desista e seja forte
o suficiente para reconhecer
a derrota!

segunda-feira, 11 de junho de 2012

T H U T H I A


Coloque-se no
topo. A melhor das
melhores. A
estrela que ninguém irá
nomear.

E nós, meros
humanos,
rezamos para ter a
honra de sentir tua
presença!

terça-feira, 15 de maio de 2012

15-05-2012

Gostaria de ter
quem acusar.  Ter
algo para por a culpa.

Serve alguém. Não
importa. Só não
queria sentir o

peso da saudade
nas costas, e nem
o seu perfume

perfurando minha
carne. Lentamente,
para que eu possa

lembrar de todo amor.

Há anos que
te vejo ao fechar os olhos.
É aquela mesma cena

-um sorriso lindo e
encantador- que me faz
chorar.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

A canção dos Lobos!

Cuspa o sangue
que o golpe lhe
causou.

Venha dançar
nesse grande baile
onde todos estão

fantasiados de
lobos.
Uive, sem medo.

Cicatrize as
feridas sem
esquecer dos

causadores.
E sorria, mesmo
com os dentes manchados
de sangue e glória!

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Os bonecos continuam a fabricar ilusões

E os bonecos
ainda estão de pé,
pronto para o jogo
e para a guerra.

Onde o hoje não
escorre e o amanhã
é uma promessa.
Não há ontens aqui.

E os bonecos
continuam a guerrear
com as promessas do
futuro esplêndido.

Corações de plásticos
dourados são a nova
ambição. E a morte
é um esporte.

Morrer não é apenas
o final. É a verdadeira
liberdade buscada pelos
mais livres.

Honra de plástico,
glória de Vime.


(Fiz esse poema com o meu irmão de vida, de luta, Anderson RAPOSO)

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Fazendo tudo ao contrário.

Deveria não
ter sentido, ter
a razão apagada.

Ter o brilho
dos olhos ofuscado
pelo tempo.

Ter tido a sabedoria
como a primeira
irmã.

Mas fez tudo
ao contrário.

Jogou as lembranças
do melhor em
foco.

Lembrou do
sorriso e
de toda alegria.

Mas é o fim,
ou finalmente o recomeço.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Avante! Levente essa bunda do fim.

O passado vem
trazendo rumores
de felicidades.

Rumores vem
trazendo do
passado a começo.

O começo de uma era
sem fim. Sem despedidas
e afins. Nada!

Apenas a calmaria,
a padaria com
seus sonhos e
sorrisos.

Quanto valerá a
sua felicidade?
Uma foto poderá
mostrar aos nossos
filhos como

sonhávamos.

AVANTE, sejamos
felizes!